"Quando sua determinação muda, tudo o mais começa a se mover

em direção ao seu desejo".

22 de jan de 2009

Abertura dos olhos

Abertura dos olhos
(Brasil Seikyo, edição nº 1929, 01/03/2008, página B1.)

“Se deseja saber que causas foram feitas no passado, observe os resultados que se manifestam no presente. E se deseja saber que resultados serão manifestados no futuro, observe as causas que estão sendo feitas no presente"

Resumo e Fundo de Cena

“Abertura dos olhos” é um dos cinco escritos mais importantes de Nitiren Daishonin, no qual ele revela sua identidade como o Buda Original dos Últimos Dias da Lei possuidor das três virtudes de soberano, mestre e pais. Daishonin iniciou este tratado logo ao chegar ao exílio na Ilha de Sado sob severas circunstâncias e o concluiu no segundo mês do nono ano de Bun-ei (1272) em dois volumes, endereçando-o a Shijo Kingo, um dos seus principais discípulos em Kamakura e samurai do clã Hojo. Quando Daishonin foi conduzido a Tatsunokuti, em setembro de 1271, Shijo Kingo acompanhou-o decidido a morrer ao seu lado, e presenciou o seu triunfo sobre a execução. Além disso, viajou a Sado para visitar Daishonin durante o exílio e enviou mensageiros para levar materiais para escrita e outras necessidades dele.

Em “O objeto de devoção para observar a mente”, escrito mais tarde, em 1273, Daishonin esclareceu do ponto de vista da Lei que o objeto de devoção possibilita que todas as pessoas alcancem a iluminação. “Abertura dos olhos” trata do objeto de devoção em termos de “pessoa”. Em outras palavras, este escrito revela que Nitiren Daishonin é o Buda que estabeleceria o objeto de devoção para todas as pessoas alcançarem o estado de Buda. Assim, o objeto de devoção incorpora a iluminação de Daishonin para o Nam-myoho-rengue-kyo, a Lei implícita nas profundezas do Sutra de Lótus.

Nitiren Daishonin experimentou uma série de adversidades na inóspita Ilha de Sado; a condição precária de sua cabana não o protegia do vento nem da neve; faltava-lhe alimentos, roupas e materiais para escrita. Além do sofrimento físico, ele ficou profundamente abalado ao saber que vários de seus seguidores de Kamakura haviam abandonado a fé. Sentindo que a morte constantemente o ameaçava, Daishonin redigiu este tratado com o propósito de encorajar seus discípulos como se fosse seu último desejo e testamento.



Explanação
“Se deseja saber que causas foram feitas no passado, observe os resultados que se manifestam no presente. E se deseja saber que resultados serão manifestados no futuro, observe as causas que estão sendo feitas no presente.”


Utilizando-se desta célebre frase que consta no Sutra Contemplação da Mente-Solo, Nitiren Daishonin explica sobre a Lei de Causa e Efeito que é o conceito central do budismo. Cada pessoa carrega um acúmulo dos efeitos de causas feitas, não somente nesta existência, mas por todo o infinito passado e que em algum momento da vida se manifestam. Cada palavra, pensamento ou ação fica registrado na vida como uma invisível folha de balanços de débitos e créditos.

Em um outro escrito, “Carta de Sado”, consta: “Aquele que escala uma montanha, mais cedo ou mais tarde terá de descê-la. Aquele que despreza o outro será desprezado. Aquele que desdenha o outro por sua bela aparência nascerá com uma aparência feia. Aquele que rouba alimentos e roupas cairá infalivelmente no mundo dos espíritos famintos. Aquele que ridiculariza uma pessoa digna que observa os preceitos nascerá em uma família pobre e de posição inferior. Aquele que calunia uma família que abraça o ensino correto nascerá em uma família que mantém visões errôneas. Aquele que ridiculariza o que mantém fielmente os preceitos nascerá como uma pessoa comum e será perseguido pelo soberano de sua nação. Essa é a lei geral de causa e efeito”. (Os Escritos de Nitiren Daishonin, vol. 5, pág. 25). De acordo com esta frase, se acumularmos boas ações seremos recompensados pelo bom efeito e se, pelo contrário, acumulamos más ações, como resultado somos obrigados a levar uma vida de infelicidade. Dessa forma, o princípio de causa e efeito do budismo ensina que fundamentalmente as circunstâncias em que se vive atualmente são conseqüências dos nossos próprios atos no passado e nunca obras de fatores externos. Nesta frase, Nitiren Daishonin ensina também o perigo de se caluniar a Verdadeira Lei e o Verdadeiro Mestre.

Na explanação deste trecho de “Abertura dos olhos”, o presidente da SGI, Daisaku Ikeda, afirma que os efeitos do presente se devem às causas cármicas do passado e que os efeitos futuros surgem a partir das causas que fazemos no presente. Ele afirma que, por isso mesmo, o mais importante é o presente momento. Embora as causas feitas no passado tenham contribuído para moldar o nosso presente, é também o momento presente, ou seja, o instante que vivemos agora que decide o nosso futuro. Não são as causas passadas que o governam. Ele ressalta o Budismo Nitiren esclarece que sejam quais forem as causas cármicas passadas, podemos construir um futuro brilhante por meio das causas que criamos hoje.

Portanto, o Budismo Nitiren é o ensino da esperança e da verdadeira revolução humana, pois possibilita a todos transformarem o sofrimento em felicidade e a tristeza em alegria. A fé e a prática budista realizadas agora é o que determina o curso de toda a existência: passado, presente e futuro. Neste exato momento, podemos criar as causas da felicidade eterna, definindo se nossa vida será permeada pela escuridão ou pela iluminação.

A escuridão fundamental é a fonte dos atos contra a Lei e a raiz de todo o carma negativo. Negar a natureza de Buda fundamental inerente à vida de todas as pessoas ou caluniar o ensino, que permite manifestar o estado de Buda, constitui este ato negativo. Por isso, a fé na Lei Mística e a prática da recitação do Nam-myoho-rengue-kyo possibilitam vencer a nossa escuridão fundamental e nos libertar dos maus caminhos, mudando para o caminho do bem, transformando assim todo o carma negativo.

O presidente Ikeda registrou a sua impressão sobre esta frase do escrito da seguinte forma: “Li essa frase pela primeira vez na juventude. Senti um impacto muito forte porque ela me fez compreender que, em se tratando da Lei de Causa e Efeito, nada é mais importante que o presente e a nossa fé. O trecho desse sutra e a explicação de Daishonin, ambos incluídos em “Abertura dos Olhos”, esclarecem que a essência da visão budista da causalidade está em mudar nossa determinação no presente. Vemos que Daishonin expressa total convicção e esperança de que é possível mudar todo carma negativo do passado e desfrutar um futuro de imensa felicidade. Tudo isso como resultado das ações empreendidas no presente em prol da Lei”. (Terceira Civilização, edição no 474, fevereiro de 2008, pág. 46.

Um comentário:

LAURA disse...

REALMENTE ESTE BUDISMO DE NITIREN, CONSEGUIU ME TIRAR DA ESCURIDÃO FUNDAMENTAL, HOJE ACREDITO PIAMENTE NA LEI DE CAUSA E EFEITO, SEI QUE HOJE ESTOU SOFRENDO EFEITOS DE CAUSAS DO PASSADO MAIS TENHO CERTEZA QUE ESTOU CONSEGUINDO TRNSFORMAR O MEU CARMA NEGATIVO, E SIGO HOJE BUSCANDO PRATICAR CAUSAS BENÉFICAS , POIS ASSIM TENHO CERTEZA QUE DESFRUTAREI DE UM FUTURO ALEGRE E PROMISSOR.("FELIZ")
AGRADEÇO A OPORTUNIDADE DE ATRAVÉS DESTE BLOG APRIMORAR MEUS CONHECIMENTOS SOBRE ESTE BUDISMO DE NITIREN, QUE SÓ FAZ AUMENTAR A MINHA VONTADE DE PRATICAR O KOSSENRUFU.
ABRAÇOS