"Quando sua determinação muda, tudo o mais começa a se mover

em direção ao seu desejo".

24 de jan de 2009

Jeanny Chen - A causa deve preceder ao efeito:

A causa deve preceder ao efeito: que causas podemos fazer para criar um carma positivo no nosso trabalho?
Por Jeanny Chen, Saratoga, California.
Disponível em http://www.happyjeanny.com/


Por mais que desejemos manter um magnífico emprego à altura da nossa capacidade, experiência, necessidades, desejos e interesses, isto é tanto ou mais difícil do que encontrar nosso companheiro espiritual ideal. Cada um de nós possui seus próprios critérios e os aplica na hora de escolher um emprego. Mas, por seu lado, os empregadores têm os seus. Mesmo no caso de ter um cargo garantido de forma temporária, os termos e as condições da posição são sempre cambiantes devido a fatores tais como a administração da empresa, a situação econômica geral e o meio ambiente. Existem demasiadas variáveis para observar e controlar.
Quase todo mundo têm experimentado alguma vez a interminável frustração de tentar firmar-se num emprego estável, sólido, promissor e digno. Para alguns, o simples fato de conseguir um emprego, qualquer que seja, já constitui em si mesmo uma dura tarefa. A bola, aparentemente, não está de modo algum nas nossas mãos.
Nossa tão agitada economia tem conseguido que manter um emprego estável e decente tenha se convertido num desafio cada vez maior. O mercado de trabalho foi afetado de maneira contundente e foi drasticamente reduzido sem piedade. Os escassos postos de trabalho disponíveis são insuficientes para empregar a todos. Dezenas de milhares de trabalhadores são demitidos a cada dia. Os mais afortunados que conseguem manter seus postos, ignoram quando lhes chegará a vez de perde-los. Enfrentando este impacto de forma direta mas cheios de impotência e com uma atitude defensiva, muitos de nós temos começado a reparar quão fracos e inoperantes somos quando nosso carma de trabalho começa a manifestar-se.
Nosso carma negativo de trabalho apresentasse-nos tão confuso e abrumador que parece que não temos nenhum controle sobre o mesmo. Mas a verdade é que podemos fazer que funcione como um trampolim para avançar. A chave reside em quão seriamente queremos erradicar nosso carma negativo de trabalho, superá-lo e dizê-lhe adeus para sempre.
Definitivamente, possuímos o poder, a sabedoria e os meios para transformar este veneno em remédio, porque praticamos o Budismo de Nitiren Daishonin.
Um bem sucedido exportador de peixe de Taiwan uma vez narrou-me sua experiência de prova e erro com a exportação de cavala para o Japão. Seus primeiros envios foram desastres totais. Em cada tentativa, toda a cavala morria no caminho. Sabendo que a cavala era enérgica e ativa, aumentou imediatamente a ração de alimento, forneceu mais oxigênio nos aquários, aumentou os aquários e os encheu de água em perfeitas condições com miras à sua próxima entrega. Mas estas melhorias não serviram de muito. Um amigo com experiência no tema sugeriu-lhe que colocasse alguns bagres nos aquários junto com as cavalas. "Os bagres são rivais mortais da cavala. Não comeriam toda minha mercadoria?", ele se perguntava. De fato, a presença dos bagres pôs à cavala em alerta, forçando-a a permanecer em movimento constante a fim de poder escapar rapidamente dos seus predadores quando era atacada. Devido à ameaça, a cavala foi capaz de manifestar a energia potencial suficiente para manter-se forte e alerta. Deste modo, a maioria da cavala chegou sã e salva ao destino, com exceção de umas poucas que eram fracas em corpo e mente, e carentes do espírito de luta necessário.
Antigamente existia una estratégia militar que consistia em posicionar as tropas de maneira tal que não lhe restasse à tropa lugar para manobrar nem rota para escapar, com o objetivo de que os soldados lutassem desesperadamente por suas vidas e eventualmente ganhassem a batalha.
Não demostram os dois exemplos anteriores que uma crise pode ser um ponto de inflexão para o sucesso? Não há melhor momento que este para tirar de cima o nosso carma negativo convertendo-o em positivo. Se estamos desempregados, nosso trabalho é por-nos a toda máquina e contra-atacar.
Temos todo o tempo que necessitamos a nossa disposição para dedicar-nos a isso. E se temos emprego mas estamos constantemente com medo de perde-lo ou nos sentimos infelizes e deprimidos por ter o emprego inadequado, podemos impulsionar-nos a nós mesmos para trabalhar para uma futura ascensão.
PODEMOS UTILIZAR A FRUSTRAÇÃO PARA FORTALECER NOSSA DETERMINAÇÃO
O Budismo ensina a lei de simultaneidade de causa e efeito. Mas é a causa que desencadeia o nascimento do efeito. O efeito não pode surgir se a causa não foi feita primeiro. Em outras palavras, a causa deve preceder ao efeito. A beleza disto é que nós podemos manobrar e colher os benefícios que queremos ao semear as sementes corretas. Neste caso, podemos e devemos realizar causas positivas que gerem o tipo de bons efeitos ou o carma positivo que desejamos.
No dia 21 de maio de 2.001 o Presidente Ikeda falou a respeito de "A Força do Povo que Desperta". Alí compartilhou o fervente desejo do Sr. Toda com os membros da Divisão de Estudantes:
"No encontro inaugural da Divisão de Estudantes, o Sr. Toda disse aos brilhantes 500 jovens alí reunidos, 'É meu desejo que metade de vocês se tornem diretores de empresas e a outra metade obtenha doutorados universitários'. Estas são palavras bem conhecidas".
No seu romance "A Nova Revolução Humana", (Vol. 1, pág. 45, Alvorecer), o Presidente Ikeda incentiva Riki (Hiroto Hirata), o recentemente nomeado primeiro responsável de Distrito da Divisão dos Jovens do Hawaii:
"Sr. Riki, o primeiro passo importante para se obter a confiança dentro da sociedade é ser vitorioso no trabalho. Isso se tornará a base de tudo. É claro que para isso é necessário um esforço duas vezes maior que o das outras pessoas. Coloque sua sabedoria em ação recitando firmemente o Daimoku. Kossen-rufu é atuar e orar pela felicidade das pessoas para edificar o caminho da suprema boa sorte. Quando tomar esse Kossen-rufu como o objetivo maior de sua existência e orar para comprová-lo realmente, a trilha da vitória e da boa sorte irá se abrir naturalmente no curso de sua vida".
Segundo os presidentes Toda e Ikeda, se queremos propagar amplamente o Budismo de Nitiren Daishonin, é importante que triunfemos nos nossos trabalhos para fortalecer nossas habilidades em prol de nossa meta. Nesta orientação, o Presidente Ikeda mostra como podemos abrir o caminho para a vitória e a boa sorte:
1. Fazer do Kossen-rufu o objetivo da nossa vida.
2. Orar para sobressair-se no nosso emprego e assim mostrar a validade do Kossen-rufu.
3. Ativar nossa sabedoria mediante uma consistente recitação de Daimoku.
4. Trabalhar o dobro daqueles que nos rodeiam.
Baseados nesta orientação, vejamos agora algumas das possíveis causas que podemos realizar para conquistar nosso objetivo de tornar-nos pessoas livres de crises no mercado de trabalho que desfrutem de ir trabalhar todos os dias, tanto para contribuir assim como para receber.
Causa N° 1 : ESTABELECER UMA META FUNDAMENTAL QUE CONTRIBUA PARA O AVANÇO DO KOSSEN-RUFU
O momento perfeito para procurar sabedoria e refletir a respeito dos detalhes específicos de nossas metas de trabalho é durante nossa prática diária. Nos convertemos naquilo em que pensamos.
O que desejamos conquistar na vida? Que esperamos do nosso emprego? Com que salário seríamos felizes? Que esforço temos que realizar para conquistá-lo? Deste modo, incorporamos nossos desejos e sonhos às nossas metas e nos responsabilizamos por eles. O propósito último destes objetivos é preparar o terreno para nossa missão de propagar o Budismo de Nitiren Daishonin: acumular boa sorte, gerar prova real, fortalecer nossas habilidades e ganhar a confiança da sociedade.
Nossos objetivos também incluem nosso próprio desenvolvimento com o propósito de avançar não importando qual for a tarefa que desempenhamos. Todas as pessoas começam de baixo no seu caminho para cima. Nenhum emprego é demasiado pequeno, nenhuma posição é demasiado baixa e nenhum campo é demasiado insignificante. Podemos destacar-nos em qualquer ofício. As oportunidades existem em todas partes. O plano é para toda a vida, não só para este momento. Devemos pensar como empresários, não como empregados; como criadores de valor, e não como provedores de trabalho.
Pela simultaneidade de causa e efeito, nosso pensamento elevado será a causa perfeita com a qual poderemos nutrir nossas vidas.
Já sabemos tudo o que temos que saber sobre nosso trabalho? Podemos satisfazer qualquer exigência que ele nos demande? Há maneiras melhores de fazer o que estamos fazendo atualmente? Queremos treinar-nos e educar-nos para estar altamente capacitados e ser extremadamente requeridos e valorizados.
Queremos converter-nos no tipo de pessoa que não pode ser substituída, alguém a quem nosso empregador só nos deixaria ir se estivesse obrigado a fechar sua empresa.
Todas as empresas estão à procura constante de líderes capazes a todo nível. Desejamos polir-nos e desenvolver-nos ao ponto de estar por cima do nível de qualificação requerido para nosso cargo. Se nossa superqualificação é tão evidente, eles a perceberão e farão os ajustes necessários para reter-nos e assim permitir que a empresa se beneficie com nossa capacidade. Queremos transformar-nos em pessoas a quem os caçadores de talentos (headhunters) constantemente propõem cada vez melhores ofertas de emprego, mesmo já tendo um bom emprego.
Desejamos que nossas habilidades nos permitam sermos pessoas "a prova de recessão", que resistam a turbulenta economia e que nunca fiquemos à deriva entre as multidões. Conscientes de destacar-nos no nosso terreno, desfrutamos ir trabalhar, estabelecendo um grande exemplo e inspirando os outros.
São estas metas demasiado otimistas e ambiciosas de serem alcançadas? Em absoluto. Nossa recitação de Daimoku é como o rugido do leão e nossa prática como uma poderosa espada. Com elas, triunfaremos corajosamente com cada esforço para conquistar a realização e concretização do nosso plano.
Causa N° 2: RECITAR ABUNDANTE DAIMOKU, ORANDO PARA SOBRESSAIR-SE NO EMPREGO
A melhor causa que podemos fazer para romper com nosso carma negativo de trabalho é recitar horas e horas, tantas como for possível, todos os dias.
Como praticantes do Budismo de Nitiren, todos sabemos que com a recitação de Daimoku ativamos nossa sabedoria, acumulamos boa sorte, elevamos nossa condição de vida, expandimos nossa capacidade e obtemos proteção e oportunidades dos deuses budistas. Os deuses budistas (shoten zenjin) manifestam-se como pessoas comuns que acodem na nossa ajuda no momento certo e no local correto. Através da recitação, também podemos comunicar-nos benevolentemente com a budicidade de outras pessoas, incluindo aqueles com os quais nos relacionamos no nosso trabalho. Os benefícios da nossa sólida, resoluta e constante prática, acompanhada com uma oração penetrante, nos impulsionam em direção dos nossos objetivos.
"Gohonzon, tenho reparado que somente com uma situação tão agoniante do mercado de trabalho posso mostrar uma verdadeira e convincente prova real ao encontrar, contra todo prognóstico, um emprego adequado para mim. Tenho a determinação de conseguir um emprego, não importa como. Esta é a oportunidade perfeita para forjar-me como uma pessoa capaz de cumprir com sua missão. Estou muito feliz por isto!".
"Gohonzon, estou orando para ativar minha sabedoria e assim ser capaz de ter uma clara imagem a respeito de como transformar meu carma de trabalho. Estou orando para que minha energia vital seja tão forte que possa levar adiante de maneira consistente meu grandioso projeto de revolução humana. Gohonzon, estou tomando todas as medidas possíveis para demostrar quão sério sou a respeito da criação do carma positivo na minha carreira. Sei que meu destino está nas minhas próprias mãos".
"Gohonzon, todos os dias, assim como estou usando todo meu ser para enviar Daimoku ao universo inteiro, estou também enviando meu curriculum a todo o mundo. Através de todos os canais do cyber espaço e a todos os rincões do universo, meus antecedentes definitivamente chegarão a meus amigos e meus ex-companheiros de trabalho que conhecem minhas habilidades. Estes contatos estarão atentos a qualquer oportunidade de trabalho e me recomendarão nas suas empresas. Minha oração fará também que meu curriculum destaque-se aos olhos daquelas empresas que necessitem meus serviços e possam beneficiar-se com meu trabalho".
"Gohonzon, sei que o mercado de trabalho foi reduzido consideravelmente. Porém, enquanto não tenha se extinguido totalmente, estou decidido a trabalhar o dobro de esforço e a fazer-me digno de ter uma porção deste. Sinto-me tão seguro porque mantenho esta fé e a pratico seriamente, porque estou nutrido do incentivo e apoio dos meus companheiros membros da SGI e da minha família e amigos, e porque minha missão requer da minha vitória para estar à vanguarda no longo caminho que estende-se na minha frente. Gohonzon, observa-me! Mesmo que seja muito difícil, estou fazendo que isto aconteça!".
Causa N° 3: ATIVAR E EXERCITAR NOSSA SABEDORIA ATRAVÉS DA ORAÇÃO
É recomendável ter um caderno e uma caneta à mão para tomar nota da sabedoria que emerge da nossa oração. Horas de recitação concentrada todos os dias produzem o tipo de sabedoria que rescreve nosso destino daqui em diante, quando esta é colocada em ação.
Necessitamos mostrar interesse, desfrutar e apreciar nossa labor sem importar o quão ruim pensemos que é. Já que pelo menos uma terceira parte do nosso dia está dedicada a nosso trabalho, devemos encontrar uma maneira de fazer dele nosso criado em vez de nosso tirano. Se mudar a realidade de nosso emprego pouco gratificante, podemos dar um giro e deixar que esse mesmo emprego trabalhe para nós. Não permitamos que absorva nossa energia. O conduzimos para que alimente nossa energia, preparando-nos para nosso futuro avanço.
Para conseguir isto, primeiro temos que deixar de lado nossos sentimentos de insatisfação ou ódio pelo nosso trabalho. Depois, ao ter a benevolência de não dar por descontado o que ele nos dá, não será difícil sentir satisfação.
Geralmente acontece que, como seres humanos, faríamos qualquer esforço para evitar a dor e procurar o prazer. A queixa apaga a boa sorte e cria efeitos negativos, enquanto que a gratidão acrescenta os benefícios. Portanto, é bastante claro que nossos esforços devem estritamente estar focados não na queixa e sim na gratidão.
Não é verdade que a maioria dos empregos dão sustento a nosso viver, nossas férias e nosso seguro de saúde? Que outros benefícios nos dão? Estamos num ambiente limpo e agradável?
Nossos colegas e companheiros, nos ditam um "Curso de Revolução Humana" para aprender, polir nossas capacidades e nos transformar em seres humanos melhores? Estamos generosamente sendo acessíveis e brindando nosso tempo, ajuda e liberdade para aprender os pontos mais específicos e interiorizar-nos a respeito dos segredos do ofício? Não é esta a situação ideal da qual possamos dominar nosso trabalho, impulsionando-nos a subir o próximo degrau da nossa carreira?
Se pudéssemos objetivamente colocar-nos no lugar dos nossos empregadores, não necessitaríamos muita sabedoria para reparar que coisas deveríamos fazer para ser valorizados e promovidos. Nossa empresa pode dar-nos um generoso salário só quando cresce e prospera. A causa que temos que fazer, pelo nosso próprio bem, é ajudar à nossa empresa para que triunfe sobre a dura concorrência, dando o melhor da nossa capacidade. E o esforço de cada funcionário conta.
NÃO EXISTEM LIMITAÇÕES PARA O MODO DE FAZER CAUSAS POSITIVAS
Qual é o ponto máximo que podemos oferecer e até onde contribuir? Como podemos incorporar nossos pontos fortes para fazer que nosso trabalho gere mais valor do que nunca, sem aumentar os custos? Qual é o máximo nível que podemos alcançar, aquele que nos permitirá destacar-nos do nível médio no nosso terreno? Como podemos dirigir um novo olhar a nosso trabalho e detectar os indícios que nos levem a melhorá-lo ou a dar-lhe um novo giro? O Daimoku abundante ascenderá a lâmpada na nossa mente para que ela brilhe com toda sua intensidade. O resto é a história do maravilhoso trabalho da sabedoria.
Pelo simples fato de fixar nossas mentes nesses objetivos, já temos registrado eloqüentemente nas nossas vidas todas as causas positivas extra de pensamento e dos seus efeitos simultâneos. Quando obtenhamos resultados, o que acontecerá sem falha, os mesmos se destacarão no nosso curriculum. Aplicando tais esforços, é bem provável que até tenhamos beneficiado outros devido aos efeitos indiretos das nossas grandiosas causas positivas. Mas está garantido que o cem por cento do efeito ou boa sorte, original e genuíno, fluirá nas nossas próprias vidas.
Ponhamos uma recepcionista como exemplo de como pode-se acrescentar essência e aroma a uma tarefa. Ela tem que tomar seu trabalho com seriedade e estar disposta a realiza-lo dando o melhor de si, como uma arte. Então, ora para manifestar sua natureza de Buda em ação. Os benefícios de recitar Nam-myoho-rengue-kyo, e o Sutra de Lótus, purificarão suas seis raízes. Sua voz é um dos meios mais importantes que ela tem para realizar seu trabalho, já que a voz realiza o trabalho do Buda. Apresentam-se-lhe incontáveis oportunidades cada dia para usar sua voz ao cumprimentar cada pessoa que atende pelo telefone! Elas não verão a expressão do seu rosto, mas definitivamente sentirão sua benevolência de Bodhisattva através da textura da sua voz.
Ela é quase sempre a primeira pessoa com a qual seus companheiros de trabalho e os visitantes que chegam à empresa têm contato. Perante eles, pode aplicar os ensinamentos budistas e reverenciar sua budicidade, mostrar-lhes seu respeito e tratar cada um como se fosse a pessoa mais importante da terra. Também pode manifestar um estado de vida elevado e injetar benevolência e felicidade na vida das pessoas com as que estabelece contato. Pode assim nossa recepcionista transformar o hall da recepção em Terra do Buda e elevar essas pessoas para um estado de vida mais alto?
Podem ter certeza que sim!
Sendo alguém que incentiva a todos com o propósito de que realizem suas tarefas maravilhosamente, experimentará ela mesma esse mesmo prazer? Responderão à sua amabilidade o meio ambiente e o universo? Com certeza! O que ela dá é o que recebe. E a gente nunca sabe... em alguma parte, alguém poderia ficar tão impressionado pelo seu desempenho que poderia sentir-se inclinado a dar-lhe uma promoção!
Porém, mesmo contando com tal sabedoria na nossa procura da excelência, ainda continua sendo um grande desafio poder revolucionar nosso trabalho rotineiro e nosso pensamento habitual se antes de mais nada não trabalhamos nossa própria transformação interior. Como praticantes do Budismo de Nitiren Daishonin, sem dúvida temos as vantagens, as ferramentas necessárias para realizar esta causa que abrirá o caminho para a conquista da nossa meta final.
Causa N° 4: EMBARCAR-NOS NO PROJETO DA NOSSA REVOLUÇÃO HUMANA
Parece que não podemos escapar de fazer nossa revolução humana se é que realmente queremos dar um novo rumo ao curso das nossas infelizes vidas. Cada aspecto da nossa existência clama pela nossa revolução humana. Se nunca a enfrentar-mos de cheio, como podemos esperar que cresça algo diferente da mesma velha semente que está profundamente enraizada na terra das nossas vidas?
Nossa tendência básica de vida afeta o modo como nos desempenhamos na nossa profissão. Nossa atitude ao aplicar nossas capacidades provoca ou não nossos sucessos no trabalho. Trocamos constantemente de um emprego a outro? Isto se deve à nossa falta de capacidade, eficiência ou persistência? Estamos adormecidos em cômodas rotinas, aceitando qualquer coisa que consigamos e caindo na cilada da inércia? Nos permitimos excessivas liberdades, boicotando a nós mesmos conseqüentemente? Inventamos desculpas e evadimos responsabilidades? Se vemos algo que necessita ser feito mas não é nosso trabalho, tendemos a pensar: "Este não é meu departamento. É demasiado para mim"? Estamos sendo auto complacentes, confinando-nos a um paradigma estreito, antiquado, sem ter uma mente aberta e a motivação para mudar e crescer? Somos solitários hipersensíveis, negativos, melindrosos, dignos de pena e irritadiços? Ou somos dominantes, arrogantes, vingativos, teimosos, estamos na defensiva e intimidantes? Podemos trabalhar harmoniosamente em equipe com outros? Somos acessíveis e confiáveis? Podem nos oferecer tarefas importantes? Somos construtivos, positivos, entusiastas, energéticos e desejosos de aprender e contribuir? Somos o suficientemente fortes e humildes como para aceitar sugestões ou críticas e refletir e melhorar? É nossa presença algo agradável para nossos colegas e para a empresa?
Não é uma má idéia pedir ou ainda rogar a nossa família e amigos que nos ajudem a identificar nossos defeitos e a impulsionar-nos para mudar. Se for necessário, deveríamos pagar a alguém ou contratar um profissional para supervisionar a execução deste projeto. Nosso caráter é nosso destino, porque dirige o jeito como fazemos causas. Ao transformar-nos, mudamos o que recebemos do nosso meio ambiente sem mudar a realidade do mesmo. Realizar nossa revolução humana nos capacitará para aumentar em grande medida nossas habilidades e nosso desempenho e para tornar-nos pessoas felizes que desfrutam de tudo o que fazem e abraçam todas as pessoas que encontram.
Um membro da Divisão Feminina, de 48 anos, vivia lutando contra suas abundantes funções demoníacas que apresentavam-se em cada aspecto da sua vida. Como conseqüência do constante abuso de que foi objeto durante sua infância, converteu-se numa pessoa muito nociva, atraindo o confronto e o abuso onde quer que fosse. Como aeromoça, seu trabalho era um pesadelo.
Seus companheiros a acossavam e abusavam dela em cada viagem. Até os estranhos a tratavam cruelmente, para não falar da sua família. Sempre estava furiosa, sentindo pena de si mesma. Em 21 anos de prática, observou escassa melhoria. Sem saber, sua atitude enquanto orava era temerosa e negativa, desejando alívio mas ao mesmo tempo acreditando que merecia ser castigada. Sua interação com a sociedade nunca falhava em fazer surgir a resposta mecânica aprendida, reafirmando sua negatividade para com si mesma, à qual o nocivo meio ambiente respondia imediatamente. Era um círculo realmente vicioso.
Toda orientação dos responsáveis fracassava na sua tentativa de dar-lhe algo mais do que um mero alívio passageiro. Quando outros não abusavam dela, ela abusava de si mesma. Deixava de comer e voltava-se para o álcool e o tabagismo, o que só conseguia aumentar sua frustração.
Somente quando tomou verdadeira consciência do significado da revolução humana e resolutamente trabalhou nisso, sua vida deu uma grande guinada. Após nove meses de ter empreendido sua transformação interior, ela desfruta da alegria de estar totalmente realizada, elogiada e saudada por todos, (incluindo os companheiros que tinham abusado dela cada vez que voavam juntos) como se fosse uma irmã perdida há longo tempo. Mais ainda, constantemente compartilham seus problemas com ela e deixam que ela os introduza no Budismo de Nitiren Daishonin. Um companheiro residente de Los Angeles recebeu o Gohonzon dois meses atrás.
Sua irmã na Islândia, com quem não tinha falado por anos, ligou inesperadamente e anunciou-lhe que ela e seu marido islandês estavam acordando às seis horas todas as manhãs para olhar para o leste e recitar Daimoku. Sua irmã queria que a pusesse em contato com a SGI da Islândia. Sua vida tinha mudado totalmente, e seu meio ambiente o reflete. Num e-mail que me enviou, maravilha-se dizendo: "Não posso acreditar que tenha vivido toda minha vida num total inferno, quando ao meu alcance existia a verdadeira felicidade". De acordo com suas próprias palavras, ela "conseguiu ser feliz apesar de si mesma".
Com toda esta preparação, agora estamos prontos para fazer a...
Causa N° 5: REALIZAR AÇÃO APÓS AÇÃO
Agora podemos organizar as anotações que escrevemos durante nossa oração e estabelecer os pontos de ação que nos farão avançar de maneira constante em direção dos nossos objetivos em ordem de importância.
Ao levar adiante diligentemente nossa fé, prática e estudo, os três pilares do Budismo de Nitiren, temos aprendido a fazer nossa mente extrair todo seu potencial, sem importar qual for nosso status ou posição.
Somos capazes de polir nossas vidas para transformar-nos em pessoas ativas, otimistas e felizes, e assim brilhar e atrair energia positiva e oportunidades. O ensinamento budista de progresso infinito pode também forjar-nos como indivíduos cujas vidas transbordam de dignidade, carisma e conquistas.
Para incrementar nossa capacidade de avanço, investigamos a natureza, o conteúdo e a técnica daquilo a que nos dedicamos; lemos livros, estudamos nossa especialidade e pedimos as opiniões e experiências dos nossos superiores e expertos nesse campo.
Um membro da Divisão Juvenil Masculina da SGI-USA, decidiu aprender uma nova especialidade, com a conseqüente redução dos seus ingressos. Teve que passar dois anos a prova, em período de capacitação. Desafiando sua natureza folgada e seu temor ao trabalho duro, teve que realizar um grande esforço para ir gradativamente armando-se de experiência e de clientela. Ao mesmo tempo, travou amizade com um superior no escritório e constantemente procurava seu conselho.
Dois anos após, justo antes de formar-se neste programa de capacitação, seu superior perguntou-lhe se queria ser seu sócio. Estava planejando retirar-se num par de anos e pedia a este jovem que pegasse uma carteira de clientes que levaria décadas para qualquer pessoa construir. O treinamento que este jovem tinha obtido da sua prática budista lhe fez ganhar a confiança do superior e também permitiu-lhe mudar sua situação econômica. (Experiência de David Tempest, World Tribune [órgão oficial da SGI-USA] de 22.12.2000)
Também é importante que observemos uma boa ética no trabalho e que nos atenhamos às normas e ao plano de trabalho, até quando ninguém nos esteja observando. De fato, não podemos evitar olhar-nos a nós mesmos, porque cada movimento cria novas causas nas nossas vidas.
Uma causa positiva produz efeitos positivos; uma causa negativa, maus efeitos; nenhuma causa, nenhum efeito.
Repassemos: "O Buda ensinou que as pessoas, desde o momento do nascimento, são servidas por dois mensageiros do céu, Dosho e Domyo (*), que as acompanham de perto como se fossem a sombra das pessoas, jamais as deixando mesmo por um segundo. Revezando-se, eles vão aos céus contar os bons e maus atos da pessoa, tanto importantes como não importantes, nos mínimos detalhes. Portanto, os céus já devem estar cientes da sua fé. Quão encorajador!" (END, vol. 1, págs. 263-264). (*) (NT: Dosho ["Mesmo Nascimento"] e Domyo ["Mesmo Nome"])
Nossas ações diárias nos treinam para qualificar-nos para as oportunidades e nos permitem aproveitá-las quando estas batem na nossa porta. Ao crescer, naturalmente acontecerá que tenhamos uma promoção no nosso cargo, e que aumentem nossas rendas. Já que agora nos tornamos pessoas solidamente competentes, se uma oferta não está à altura da nossa capacidade, existem muitos outros lugares onde podem abraçar-nos e valorizar-nos. Enquanto lutamos seriamente para triunfar, cada empresa está também fazendo funcionar uma antena de longo alcance para detectar, descobrir e contratar gente que possa contribuir ao máximo para que a mesma triunfe.
O século XXI é a era da evolução, do desenvolvimento permanente e do avanço revolucionário. As coisas são sempre mais modernas, dia após dia. As pessoas movem-se na velocidade da luz para avançar e assim elevar-se por cima da multidão. Não podemos preservar, deter ou reter o tempo. O único que podemos fazer é também nós mover-nos rapidamente para, pelo menos, manter-nos no mesmo ritmo que o mundo. De outro modo, quando os tempos ficarem difíceis, seremos arrastados pela concorrência.
Sim, estamos cansados depois de oito horas de batalha no trabalho; a batalha contra o estresse e a pressão. Finalizado nosso serviço, merecemos um descanso. Assistamos televisão ou passemos um bom momento e divirtamo-nos com nossos amigos. Enquanto relaxamos cotidianamente, escutemos o que Nitiren Daishonin tem para dizer:
"É causa de contentamento ver que sua costumeira prudência e coragem, assim como sua firme fé no Sutra de Lótus, lhe permitiram sair ileso". (NT: tradução não oficial)
Também nos adverte:
"Quando nossa boa sorte acaba-se, não há nenhuma estratégia válida. Quando ela extingue-se, não o seguem sequer seus próprios vassalos". (WND, pág. 1.000) (NT: tradução não oficial)
Ademais de passar oito horas no nosso emprego e oito horas dormindo, ainda temos outras oito horas à nossa disposição, mas não mais do que isso.
Deixamos, com indiferença e descuido, que estas se escoem sem deixar marcas? Ou as usamos escrupulosamente para somar mais boa sorte na poupança das nossas vidas, a qual consumimos dia a dia? Claro que isto depende de qual é o significado, valor e propósito das nossas vidas. As prioridades de cada um variam.
Faz um bom tempo que os segredos e atalhos para conquistar a vitória são de conhecimento público: trabalhar com afinco, sabedoria e persistência.
Afortunadamente, como praticantes deste Budismo, temos no nosso poder a chave que abre o portal do caminho para a vitória e a boa sorte.
Esta prática nos evita a necessidade de andar aos trancos e barrancos, sempre que pratiquemos com seriedade e corretamente.
Podemos prever os problemas e complicações que teremos que enfrentar se queremos realizar este complexo plano de mudar nosso carma de trabalho. É possível que para algumas pessoas isto seja algo tão incômodo que não poderiam levá-lo adiante. Porém, há só uma alternativa que resta para nossas vidas: suportar e sofrer a infelicidade de ficar presos na teia de aranha do nosso carma de trabalho, sem forma visível de escapar. De um modo ou outro, há um considerável grau de dor e energia implícitos. É uma decisão tão dura de tomar! Mas sabemos como orar para isso para encontrar nossa melhor resposta, não é mesmo?
O endereço eletrônico de Jeanny é: happyjeanny@hotmail.comTradução: Ariel Ricci aricci@estadao.com.brRevisão: Marly Contesini contesini@estadao.com.br: que causas podemos fazer para criar um carma positivo no nosso trabalho?Por Jeanny Chen, Saratoga, California.Disponível em http://www.happyjeanny.com/
Por mais que desejemos manter um magnífico emprego à altura da nossa capacidade, experiência, necessidades, desejos e interesses, isto é tanto ou mais difícil do que encontrar nosso companheiro espiritual ideal. Cada um de nós possui seus próprios critérios e os aplica na hora de escolher um emprego. Mas, por seu lado, os empregadores têm os seus. Mesmo no caso de ter um cargo garantido de forma temporária, os termos e as condições da posição são sempre cambiantes devido a fatores tais como a administração da empresa, a situação econômica geral e o meio ambiente. Existem demasiadas variáveis para observar e controlar.
Quase todo mundo têm experimentado alguma vez a interminável frustração de tentar firmar-se num emprego estável, sólido, promissor e digno. Para alguns, o simples fato de conseguir um emprego, qualquer que seja, já constitui em si mesmo uma dura tarefa. A bola, aparentemente, não está de modo algum nas nossas mãos.
Nossa tão agitada economia tem conseguido que manter um emprego estável e decente tenha se convertido num desafio cada vez maior. O mercado de trabalho foi afetado de maneira contundente e foi drasticamente reduzido sem piedade. Os escassos postos de trabalho disponíveis são insuficientes para empregar a todos. Dezenas de milhares de trabalhadores são demitidos a cada dia. Os mais afortunados que conseguem manter seus postos, ignoram quando lhes chegará a vez de perde-los. Enfrentando este impacto de forma direta mas cheios de impotência e com uma atitude defensiva, muitos de nós temos começado a reparar quão fracos e inoperantes somos quando nosso carma de trabalho começa a manifestar-se.
Nosso carma negativo de trabalho apresentasse-nos tão confuso e abrumador que parece que não temos nenhum controle sobre o mesmo. Mas a verdade é que podemos fazer que funcione como um trampolim para avançar. A chave reside em quão seriamente queremos erradicar nosso carma negativo de trabalho, superá-lo e dizê-lhe adeus para sempre.
Definitivamente, possuímos o poder, a sabedoria e os meios para transformar este veneno em remédio, porque praticamos o Budismo de Nitiren Daishonin.
Um bem sucedido exportador de peixe de Taiwan uma vez narrou-me sua experiência de prova e erro com a exportação de cavala para o Japão. Seus primeiros envios foram desastres totais. Em cada tentativa, toda a cavala morria no caminho. Sabendo que a cavala era enérgica e ativa, aumentou imediatamente a ração de alimento, forneceu mais oxigênio nos aquários, aumentou os aquários e os encheu de água em perfeitas condições com miras à sua próxima entrega. Mas estas melhorias não serviram de muito. Um amigo com experiência no tema sugeriu-lhe que colocasse alguns bagres nos aquários junto com as cavalas. "Os bagres são rivais mortais da cavala. Não comeriam toda minha mercadoria?", ele se perguntava. De fato, a presença dos bagres pôs à cavala em alerta, forçando-a a permanecer em movimento constante a fim de poder escapar rapidamente dos seus predadores quando era atacada. Devido à ameaça, a cavala foi capaz de manifestar a energia potencial suficiente para manter-se forte e alerta. Deste modo, a maioria da cavala chegou sã e salva ao destino, com exceção de umas poucas que eram fracas em corpo e mente, e carentes do espírito de luta necessário.
Antigamente existia una estratégia militar que consistia em posicionar as tropas de maneira tal que não lhe restasse à tropa lugar para manobrar nem rota para escapar, com o objetivo de que os soldados lutassem desesperadamente por suas vidas e eventualmente ganhassem a batalha.
Não demostram os dois exemplos anteriores que uma crise pode ser um ponto de inflexão para o sucesso? Não há melhor momento que este para tirar de cima o nosso carma negativo convertendo-o em positivo. Se estamos desempregados, nosso trabalho é por-nos a toda máquina e contra-atacar.
Temos todo o tempo que necessitamos a nossa disposição para dedicar-nos a isso. E se temos emprego mas estamos constantemente com medo de perde-lo ou nos sentimos infelizes e deprimidos por ter o emprego inadequado, podemos impulsionar-nos a nós mesmos para trabalhar para uma futura ascensão.
PODEMOS UTILIZAR A FRUSTRAÇÃO PARA FORTALECER NOSSA DETERMINAÇÃO
O Budismo ensina a lei de simultaneidade de causa e efeito. Mas é a causa que desencadeia o nascimento do efeito. O efeito não pode surgir se a causa não foi feita primeiro. Em outras palavras, a causa deve preceder ao efeito. A beleza disto é que nós podemos manobrar e colher os benefícios que queremos ao semear as sementes corretas. Neste caso, podemos e devemos realizar causas positivas que gerem o tipo de bons efeitos ou o carma positivo que desejamos.
No dia 21 de maio de 2.001 o Presidente Ikeda falou a respeito de "A Força do Povo que Desperta". Alí compartilhou o fervente desejo do Sr. Toda com os membros da Divisão de Estudantes:
"No encontro inaugural da Divisão de Estudantes, o Sr. Toda disse aos brilhantes 500 jovens alí reunidos, 'É meu desejo que metade de vocês se tornem diretores de empresas e a outra metade obtenha doutorados universitários'. Estas são palavras bem conhecidas".
No seu romance "A Nova Revolução Humana", (Vol. 1, pág. 45, Alvorecer), o Presidente Ikeda incentiva Riki (Hiroto Hirata), o recentemente nomeado primeiro responsável de Distrito da Divisão dos Jovens do Hawaii:
"Sr. Riki, o primeiro passo importante para se obter a confiança dentro da sociedade é ser vitorioso no trabalho. Isso se tornará a base de tudo. É claro que para isso é necessário um esforço duas vezes maior que o das outras pessoas. Coloque sua sabedoria em ação recitando firmemente o Daimoku. Kossen-rufu é atuar e orar pela felicidade das pessoas para edificar o caminho da suprema boa sorte. Quando tomar esse Kossen-rufu como o objetivo maior de sua existência e orar para comprová-lo realmente, a trilha da vitória e da boa sorte irá se abrir naturalmente no curso de sua vida".
Segundo os presidentes Toda e Ikeda, se queremos propagar amplamente o Budismo de Nitiren Daishonin, é importante que triunfemos nos nossos trabalhos para fortalecer nossas habilidades em prol de nossa meta. Nesta orientação, o Presidente Ikeda mostra como podemos abrir o caminho para a vitória e a boa sorte:
1. Fazer do Kossen-rufu o objetivo da nossa vida.
2. Orar para sobressair-se no nosso emprego e assim mostrar a validade do Kossen-rufu.
3. Ativar nossa sabedoria mediante uma consistente recitação de Daimoku.
4. Trabalhar o dobro daqueles que nos rodeiam.
Baseados nesta orientação, vejamos agora algumas das possíveis causas que podemos realizar para conquistar nosso objetivo de tornar-nos pessoas livres de crises no mercado de trabalho que desfrutem de ir trabalhar todos os dias, tanto para contribuir assim como para receber.
Causa N° 1 : ESTABELECER UMA META FUNDAMENTAL QUE CONTRIBUA PARA O AVANÇO DO KOSSEN-RUFU
O momento perfeito para procurar sabedoria e refletir a respeito dos detalhes específicos de nossas metas de trabalho é durante nossa prática diária. Nos convertemos naquilo em que pensamos.
O que desejamos conquistar na vida? Que esperamos do nosso emprego? Com que salário seríamos felizes? Que esforço temos que realizar para conquistá-lo? Deste modo, incorporamos nossos desejos e sonhos às nossas metas e nos responsabilizamos por eles. O propósito último destes objetivos é preparar o terreno para nossa missão de propagar o Budismo de Nitiren Daishonin: acumular boa sorte, gerar prova real, fortalecer nossas habilidades e ganhar a confiança da sociedade.
Nossos objetivos também incluem nosso próprio desenvolvimento com o propósito de avançar não importando qual for a tarefa que desempenhamos. Todas as pessoas começam de baixo no seu caminho para cima. Nenhum emprego é demasiado pequeno, nenhuma posição é demasiado baixa e nenhum campo é demasiado insignificante. Podemos destacar-nos em qualquer ofício. As oportunidades existem em todas partes. O plano é para toda a vida, não só para este momento. Devemos pensar como empresários, não como empregados; como criadores de valor, e não como provedores de trabalho.
Pela simultaneidade de causa e efeito, nosso pensamento elevado será a causa perfeita com a qual poderemos nutrir nossas vidas.
Já sabemos tudo o que temos que saber sobre nosso trabalho? Podemos satisfazer qualquer exigência que ele nos demande? Há maneiras melhores de fazer o que estamos fazendo atualmente? Queremos treinar-nos e educar-nos para estar altamente capacitados e ser extremadamente requeridos e valorizados.
Queremos converter-nos no tipo de pessoa que não pode ser substituída, alguém a quem nosso empregador só nos deixaria ir se estivesse obrigado a fechar sua empresa.
Todas as empresas estão à procura constante de líderes capazes a todo nível. Desejamos polir-nos e desenvolver-nos ao ponto de estar por cima do nível de qualificação requerido para nosso cargo. Se nossa superqualificação é tão evidente, eles a perceberão e farão os ajustes necessários para reter-nos e assim permitir que a empresa se beneficie com nossa capacidade. Queremos transformar-nos em pessoas a quem os caçadores de talentos (headhunters) constantemente propõem cada vez melhores ofertas de emprego, mesmo já tendo um bom emprego.
Desejamos que nossas habilidades nos permitam sermos pessoas "a prova de recessão", que resistam a turbulenta economia e que nunca fiquemos à deriva entre as multidões. Conscientes de destacar-nos no nosso terreno, desfrutamos ir trabalhar, estabelecendo um grande exemplo e inspirando os outros.
São estas metas demasiado otimistas e ambiciosas de serem alcançadas? Em absoluto. Nossa recitação de Daimoku é como o rugido do leão e nossa prática como uma poderosa espada. Com elas, triunfaremos corajosamente com cada esforço para conquistar a realização e concretização do nosso plano.
Causa N° 2: RECITAR ABUNDANTE DAIMOKU, ORANDO PARA SOBRESSAIR-SE NO EMPREGO
A melhor causa que podemos fazer para romper com nosso carma negativo de trabalho é recitar horas e horas, tantas como for possível, todos os dias.
Como praticantes do Budismo de Nitiren, todos sabemos que com a recitação de Daimoku ativamos nossa sabedoria, acumulamos boa sorte, elevamos nossa condição de vida, expandimos nossa capacidade e obtemos proteção e oportunidades dos deuses budistas. Os deuses budistas (shoten zenjin) manifestam-se como pessoas comuns que acodem na nossa ajuda no momento certo e no local correto. Através da recitação, também podemos comunicar-nos benevolentemente com a budicidade de outras pessoas, incluindo aqueles com os quais nos relacionamos no nosso trabalho. Os benefícios da nossa sólida, resoluta e constante prática, acompanhada com uma oração penetrante, nos impulsionam em direção dos nossos objetivos.
"Gohonzon, tenho reparado que somente com uma situação tão agoniante do mercado de trabalho posso mostrar uma verdadeira e convincente prova real ao encontrar, contra todo prognóstico, um emprego adequado para mim. Tenho a determinação de conseguir um emprego, não importa como. Esta é a oportunidade perfeita para forjar-me como uma pessoa capaz de cumprir com sua missão. Estou muito feliz por isto!".
"Gohonzon, estou orando para ativar minha sabedoria e assim ser capaz de ter uma clara imagem a respeito de como transformar meu carma de trabalho. Estou orando para que minha energia vital seja tão forte que possa levar adiante de maneira consistente meu grandioso projeto de revolução humana. Gohonzon, estou tomando todas as medidas possíveis para demostrar quão sério sou a respeito da criação do carma positivo na minha carreira. Sei que meu destino está nas minhas próprias mãos".
"Gohonzon, todos os dias, assim como estou usando todo meu ser para enviar Daimoku ao universo inteiro, estou também enviando meu curriculum a todo o mundo. Através de todos os canais do cyber espaço e a todos os rincões do universo, meus antecedentes definitivamente chegarão a meus amigos e meus ex-companheiros de trabalho que conhecem minhas habilidades. Estes contatos estarão atentos a qualquer oportunidade de trabalho e me recomendarão nas suas empresas. Minha oração fará também que meu curriculum destaque-se aos olhos daquelas empresas que necessitem meus serviços e possam beneficiar-se com meu trabalho".
"Gohonzon, sei que o mercado de trabalho foi reduzido consideravelmente. Porém, enquanto não tenha se extinguido totalmente, estou decidido a trabalhar o dobro de esforço e a fazer-me digno de ter uma porção deste. Sinto-me tão seguro porque mantenho esta fé e a pratico seriamente, porque estou nutrido do incentivo e apoio dos meus companheiros membros da SGI e da minha família e amigos, e porque minha missão requer da minha vitória para estar à vanguarda no longo caminho que estende-se na minha frente. Gohonzon, observa-me! Mesmo que seja muito difícil, estou fazendo que isto aconteça!".
Causa N° 3: ATIVAR E EXERCITAR NOSSA SABEDORIA ATRAVÉS DA ORAÇÃO
É recomendável ter um caderno e uma caneta à mão para tomar nota da sabedoria que emerge da nossa oração. Horas de recitação concentrada todos os dias produzem o tipo de sabedoria que rescreve nosso destino daqui em diante, quando esta é colocada em ação.
Necessitamos mostrar interesse, desfrutar e apreciar nossa labor sem importar o quão ruim pensemos que é. Já que pelo menos uma terceira parte do nosso dia está dedicada a nosso trabalho, devemos encontrar uma maneira de fazer dele nosso criado em vez de nosso tirano. Se mudar a realidade de nosso emprego pouco gratificante, podemos dar um giro e deixar que esse mesmo emprego trabalhe para nós. Não permitamos que absorva nossa energia. O conduzimos para que alimente nossa energia, preparando-nos para nosso futuro avanço.
Para conseguir isto, primeiro temos que deixar de lado nossos sentimentos de insatisfação ou ódio pelo nosso trabalho. Depois, ao ter a benevolência de não dar por descontado o que ele nos dá, não será difícil sentir satisfação.
Geralmente acontece que, como seres humanos, faríamos qualquer esforço para evitar a dor e procurar o prazer. A queixa apaga a boa sorte e cria efeitos negativos, enquanto que a gratidão acrescenta os benefícios. Portanto, é bastante claro que nossos esforços devem estritamente estar focados não na queixa e sim na gratidão.
Não é verdade que a maioria dos empregos dão sustento a nosso viver, nossas férias e nosso seguro de saúde? Que outros benefícios nos dão? Estamos num ambiente limpo e agradável?
Nossos colegas e companheiros, nos ditam um "Curso de Revolução Humana" para aprender, polir nossas capacidades e nos transformar em seres humanos melhores? Estamos generosamente sendo acessíveis e brindando nosso tempo, ajuda e liberdade para aprender os pontos mais específicos e interiorizar-nos a respeito dos segredos do ofício? Não é esta a situação ideal da qual possamos dominar nosso trabalho, impulsionando-nos a subir o próximo degrau da nossa carreira?
Se pudéssemos objetivamente colocar-nos no lugar dos nossos empregadores, não necessitaríamos muita sabedoria para reparar que coisas deveríamos fazer para ser valorizados e promovidos. Nossa empresa pode dar-nos um generoso salário só quando cresce e prospera. A causa que temos que fazer, pelo nosso próprio bem, é ajudar à nossa empresa para que triunfe sobre a dura concorrência, dando o melhor da nossa capacidade. E o esforço de cada funcionário conta.
NÃO EXISTEM LIMITAÇÕES PARA O MODO DE FAZER CAUSAS POSITIVAS
Qual é o ponto máximo que podemos oferecer e até onde contribuir? Como podemos incorporar nossos pontos fortes para fazer que nosso trabalho gere mais valor do que nunca, sem aumentar os custos? Qual é o máximo nível que podemos alcançar, aquele que nos permitirá destacar-nos do nível médio no nosso terreno? Como podemos dirigir um novo olhar a nosso trabalho e detectar os indícios que nos levem a melhorá-lo ou a dar-lhe um novo giro? O Daimoku abundante ascenderá a lâmpada na nossa mente para que ela brilhe com toda sua intensidade. O resto é a história do maravilhoso trabalho da sabedoria.
Pelo simples fato de fixar nossas mentes nesses objetivos, já temos registrado eloqüentemente nas nossas vidas todas as causas positivas extra de pensamento e dos seus efeitos simultâneos. Quando obtenhamos resultados, o que acontecerá sem falha, os mesmos se destacarão no nosso curriculum. Aplicando tais esforços, é bem provável que até tenhamos beneficiado outros devido aos efeitos indiretos das nossas grandiosas causas positivas. Mas está garantido que o cem por cento do efeito ou boa sorte, original e genuíno, fluirá nas nossas próprias vidas.
Ponhamos uma recepcionista como exemplo de como pode-se acrescentar essência e aroma a uma tarefa. Ela tem que tomar seu trabalho com seriedade e estar disposta a realiza-lo dando o melhor de si, como uma arte. Então, ora para manifestar sua natureza de Buda em ação. Os benefícios de recitar Nam-myoho-rengue-kyo, e o Sutra de Lótus, purificarão suas seis raízes. Sua voz é um dos meios mais importantes que ela tem para realizar seu trabalho, já que a voz realiza o trabalho do Buda. Apresentam-se-lhe incontáveis oportunidades cada dia para usar sua voz ao cumprimentar cada pessoa que atende pelo telefone! Elas não verão a expressão do seu rosto, mas definitivamente sentirão sua benevolência de Bodhisattva através da textura da sua voz.
Ela é quase sempre a primeira pessoa com a qual seus companheiros de trabalho e os visitantes que chegam à empresa têm contato. Perante eles, pode aplicar os ensinamentos budistas e reverenciar sua budicidade, mostrar-lhes seu respeito e tratar cada um como se fosse a pessoa mais importante da terra. Também pode manifestar um estado de vida elevado e injetar benevolência e felicidade na vida das pessoas com as que estabelece contato. Pode assim nossa recepcionista transformar o hall da recepção em Terra do Buda e elevar essas pessoas para um estado de vida mais alto?
Podem ter certeza que sim!
Sendo alguém que incentiva a todos com o propósito de que realizem suas tarefas maravilhosamente, experimentará ela mesma esse mesmo prazer? Responderão à sua amabilidade o meio ambiente e o universo? Com certeza! O que ela dá é o que recebe. E a gente nunca sabe... em alguma parte, alguém poderia ficar tão impressionado pelo seu desempenho que poderia sentir-se inclinado a dar-lhe uma promoção!
Porém, mesmo contando com tal sabedoria na nossa procura da excelência, ainda continua sendo um grande desafio poder revolucionar nosso trabalho rotineiro e nosso pensamento habitual se antes de mais nada não trabalhamos nossa própria transformação interior. Como praticantes do Budismo de Nitiren Daishonin, sem dúvida temos as vantagens, as ferramentas necessárias para realizar esta causa que abrirá o caminho para a conquista da nossa meta final.
Causa N° 4: EMBARCAR-NOS NO PROJETO DA NOSSA REVOLUÇÃO HUMANA
Parece que não podemos escapar de fazer nossa revolução humana se é que realmente queremos dar um novo rumo ao curso das nossas infelizes vidas. Cada aspecto da nossa existência clama pela nossa revolução humana. Se nunca a enfrentar-mos de cheio, como podemos esperar que cresça algo diferente da mesma velha semente que está profundamente enraizada na terra das nossas vidas?
Nossa tendência básica de vida afeta o modo como nos desempenhamos na nossa profissão. Nossa atitude ao aplicar nossas capacidades provoca ou não nossos sucessos no trabalho. Trocamos constantemente de um emprego a outro? Isto se deve à nossa falta de capacidade, eficiência ou persistência? Estamos adormecidos em cômodas rotinas, aceitando qualquer coisa que consigamos e caindo na cilada da inércia? Nos permitimos excessivas liberdades, boicotando a nós mesmos conseqüentemente? Inventamos desculpas e evadimos responsabilidades? Se vemos algo que necessita ser feito mas não é nosso trabalho, tendemos a pensar: "Este não é meu departamento. É demasiado para mim"? Estamos sendo auto complacentes, confinando-nos a um paradigma estreito, antiquado, sem ter uma mente aberta e a motivação para mudar e crescer? Somos solitários hipersensíveis, negativos, melindrosos, dignos de pena e irritadiços? Ou somos dominantes, arrogantes, vingativos, teimosos, estamos na defensiva e intimidantes? Podemos trabalhar harmoniosamente em equipe com outros? Somos acessíveis e confiáveis? Podem nos oferecer tarefas importantes? Somos construtivos, positivos, entusiastas, energéticos e desejosos de aprender e contribuir? Somos o suficientemente fortes e humildes como para aceitar sugestões ou críticas e refletir e melhorar? É nossa presença algo agradável para nossos colegas e para a empresa?
Não é uma má idéia pedir ou ainda rogar a nossa família e amigos que nos ajudem a identificar nossos defeitos e a impulsionar-nos para mudar. Se for necessário, deveríamos pagar a alguém ou contratar um profissional para supervisionar a execução deste projeto. Nosso caráter é nosso destino, porque dirige o jeito como fazemos causas. Ao transformar-nos, mudamos o que recebemos do nosso meio ambiente sem mudar a realidade do mesmo. Realizar nossa revolução humana nos capacitará para aumentar em grande medida nossas habilidades e nosso desempenho e para tornar-nos pessoas felizes que desfrutam de tudo o que fazem e abraçam todas as pessoas que encontram.
Um membro da Divisão Feminina, de 48 anos, vivia lutando contra suas abundantes funções demoníacas que apresentavam-se em cada aspecto da sua vida. Como conseqüência do constante abuso de que foi objeto durante sua infância, converteu-se numa pessoa muito nociva, atraindo o confronto e o abuso onde quer que fosse. Como aeromoça, seu trabalho era um pesadelo.
Seus companheiros a acossavam e abusavam dela em cada viagem. Até os estranhos a tratavam cruelmente, para não falar da sua família. Sempre estava furiosa, sentindo pena de si mesma. Em 21 anos de prática, observou escassa melhoria. Sem saber, sua atitude enquanto orava era temerosa e negativa, desejando alívio mas ao mesmo tempo acreditando que merecia ser castigada. Sua interação com a sociedade nunca falhava em fazer surgir a resposta mecânica aprendida, reafirmando sua negatividade para com si mesma, à qual o nocivo meio ambiente respondia imediatamente. Era um círculo realmente vicioso.
Toda orientação dos responsáveis fracassava na sua tentativa de dar-lhe algo mais do que um mero alívio passageiro. Quando outros não abusavam dela, ela abusava de si mesma. Deixava de comer e voltava-se para o álcool e o tabagismo, o que só conseguia aumentar sua frustração.
Somente quando tomou verdadeira consciência do significado da revolução humana e resolutamente trabalhou nisso, sua vida deu uma grande guinada. Após nove meses de ter empreendido sua transformação interior, ela desfruta da alegria de estar totalmente realizada, elogiada e saudada por todos, (incluindo os companheiros que tinham abusado dela cada vez que voavam juntos) como se fosse uma irmã perdida há longo tempo. Mais ainda, constantemente compartilham seus problemas com ela e deixam que ela os introduza no Budismo de Nitiren Daishonin. Um companheiro residente de Los Angeles recebeu o Gohonzon dois meses atrás.
Sua irmã na Islândia, com quem não tinha falado por anos, ligou inesperadamente e anunciou-lhe que ela e seu marido islandês estavam acordando às seis horas todas as manhãs para olhar para o leste e recitar Daimoku. Sua irmã queria que a pusesse em contato com a SGI da Islândia. Sua vida tinha mudado totalmente, e seu meio ambiente o reflete. Num e-mail que me enviou, maravilha-se dizendo: "Não posso acreditar que tenha vivido toda minha vida num total inferno, quando ao meu alcance existia a verdadeira felicidade". De acordo com suas próprias palavras, ela "conseguiu ser feliz apesar de si mesma".
Com toda esta preparação, agora estamos prontos para fazer a...
Causa N° 5: REALIZAR AÇÃO APÓS AÇÃO
Agora podemos organizar as anotações que escrevemos durante nossa oração e estabelecer os pontos de ação que nos farão avançar de maneira constante em direção dos nossos objetivos em ordem de importância.
Ao levar adiante diligentemente nossa fé, prática e estudo, os três pilares do Budismo de Nitiren, temos aprendido a fazer nossa mente extrair todo seu potencial, sem importar qual for nosso status ou posição.
Somos capazes de polir nossas vidas para transformar-nos em pessoas ativas, otimistas e felizes, e assim brilhar e atrair energia positiva e oportunidades. O ensinamento budista de progresso infinito pode também forjar-nos como indivíduos cujas vidas transbordam de dignidade, carisma e conquistas.
Para incrementar nossa capacidade de avanço, investigamos a natureza, o conteúdo e a técnica daquilo a que nos dedicamos; lemos livros, estudamos nossa especialidade e pedimos as opiniões e experiências dos nossos superiores e expertos nesse campo.
Um membro da Divisão Juvenil Masculina da SGI-USA, decidiu aprender uma nova especialidade, com a conseqüente redução dos seus ingressos. Teve que passar dois anos a prova, em período de capacitação. Desafiando sua natureza folgada e seu temor ao trabalho duro, teve que realizar um grande esforço para ir gradativamente armando-se de experiência e de clientela. Ao mesmo tempo, travou amizade com um superior no escritório e constantemente procurava seu conselho.
Dois anos após, justo antes de formar-se neste programa de capacitação, seu superior perguntou-lhe se queria ser seu sócio. Estava planejando retirar-se num par de anos e pedia a este jovem que pegasse uma carteira de clientes que levaria décadas para qualquer pessoa construir. O treinamento que este jovem tinha obtido da sua prática budista lhe fez ganhar a confiança do superior e também permitiu-lhe mudar sua situação econômica. (Experiência de David Tempest, World Tribune [órgão oficial da SGI-USA] de 22.12.2000)
Também é importante que observemos uma boa ética no trabalho e que nos atenhamos às normas e ao plano de trabalho, até quando ninguém nos esteja observando. De fato, não podemos evitar olhar-nos a nós mesmos, porque cada movimento cria novas causas nas nossas vidas.
Uma causa positiva produz efeitos positivos; uma causa negativa, maus efeitos; nenhuma causa, nenhum efeito.
Repassemos: "O Buda ensinou que as pessoas, desde o momento do nascimento, são servidas por dois mensageiros do céu, Dosho e Domyo (*), que as acompanham de perto como se fossem a sombra das pessoas, jamais as deixando mesmo por um segundo. Revezando-se, eles vão aos céus contar os bons e maus atos da pessoa, tanto importantes como não importantes, nos mínimos detalhes. Portanto, os céus já devem estar cientes da sua fé. Quão encorajador!" (END, vol. 1, págs. 263-264). (*) (NT: Dosho ["Mesmo Nascimento"] e Domyo ["Mesmo Nome"])
Nossas ações diárias nos treinam para qualificar-nos para as oportunidades e nos permitem aproveitá-las quando estas batem na nossa porta. Ao crescer, naturalmente acontecerá que tenhamos uma promoção no nosso cargo, e que aumentem nossas rendas. Já que agora nos tornamos pessoas solidamente competentes, se uma oferta não está à altura da nossa capacidade, existem muitos outros lugares onde podem abraçar-nos e valorizar-nos. Enquanto lutamos seriamente para triunfar, cada empresa está também fazendo funcionar uma antena de longo alcance para detectar, descobrir e contratar gente que possa contribuir ao máximo para que a mesma triunfe.
O século XXI é a era da evolução, do desenvolvimento permanente e do avanço revolucionário. As coisas são sempre mais modernas, dia após dia. As pessoas movem-se na velocidade da luz para avançar e assim elevar-se por cima da multidão. Não podemos preservar, deter ou reter o tempo. O único que podemos fazer é também nós mover-nos rapidamente para, pelo menos, manter-nos no mesmo ritmo que o mundo. De outro modo, quando os tempos ficarem difíceis, seremos arrastados pela concorrência.
Sim, estamos cansados depois de oito horas de batalha no trabalho; a batalha contra o estresse e a pressão. Finalizado nosso serviço, merecemos um descanso. Assistamos televisão ou passemos um bom momento e divirtamo-nos com nossos amigos. Enquanto relaxamos cotidianamente, escutemos o que Nitiren Daishonin tem para dizer:
"É causa de contentamento ver que sua costumeira prudência e coragem, assim como sua firme fé no Sutra de Lótus, lhe permitiram sair ileso". (NT: tradução não oficial)
Também nos adverte:
"Quando nossa boa sorte acaba-se, não há nenhuma estratégia válida. Quando ela extingue-se, não o seguem sequer seus próprios vassalos". (WND, pág. 1.000) (NT: tradução não oficial)
Ademais de passar oito horas no nosso emprego e oito horas dormindo, ainda temos outras oito horas à nossa disposição, mas não mais do que isso.
Deixamos, com indiferença e descuido, que estas se escoem sem deixar marcas? Ou as usamos escrupulosamente para somar mais boa sorte na poupança das nossas vidas, a qual consumimos dia a dia? Claro que isto depende de qual é o significado, valor e propósito das nossas vidas. As prioridades de cada um variam.
Faz um bom tempo que os segredos e atalhos para conquistar a vitória são de conhecimento público: trabalhar com afinco, sabedoria e persistência.
Afortunadamente, como praticantes deste Budismo, temos no nosso poder a chave que abre o portal do caminho para a vitória e a boa sorte.
Esta prática nos evita a necessidade de andar aos trancos e barrancos, sempre que pratiquemos com seriedade e corretamente.
Podemos prever os problemas e complicações que teremos que enfrentar se queremos realizar este complexo plano de mudar nosso carma de trabalho. É possível que para algumas pessoas isto seja algo tão incômodo que não poderiam levá-lo adiante. Porém, há só uma alternativa que resta para nossas vidas: suportar e sofrer a infelicidade de ficar presos na teia de aranha do nosso carma de trabalho, sem forma visível de escapar. De um modo ou outro, há um considerável grau de dor e energia implícitos. É uma decisão tão dura de tomar! Mas sabemos como orar para isso para encontrar nossa melhor resposta, não é mesmo?

O endereço eletrônico de Jeanny é: happyjeanny@hotmail.com
Tradução: Ariel Ricci aricci@estadao.com.br
Revisão: Marly Contesini contesini@estadao.com.br

Nenhum comentário: