"Quando sua determinação muda, tudo o mais começa a se mover

em direção ao seu desejo".

29 de jan de 2009

Um único instante determina toda uma vida

Avançar ou recuar, falar ou calar, desafiar ou deixar como está, ficar ou fugir, aceitar ou recusar, vencer ou perder, enfim, são inúmeras as decisões que as pessoas têm de tomar na vida.
Esse momento de tomada de decisão, muitas vezes um instante relâmpago,
pode definir toda a sua vida.
No budismo, isso é elucidado como o princípio de itinen sanzen (Três Mil Mundos num Único Momento da Vida).

Itinen sanzen — esse complexo sistema filosófico apresentado pelo Grande Mestre Tient’ai (538–597), da China, em sua obra Maka Shikan (Grande Concentração e Discernimento), é um dos mais importantes conceitos budistas.

Literalmente, itinen significa “uma mente”, “um momento da vida” ou “essência da vida”, e sanzen quer dizer “três mil” ou “o fenômeno que a vida manifesta”.

A expressão “três mil” é uma integração dos Dez Mundos ou Dez Estados da Vida e sua possessão mútua, dos Dez Fatores e dos Três Domínios da Individualização. Esses valores multiplicados (10 x 10 x 10 x 3) resultam em três mil.

10- Buda
09 – Bodhisattva
08 – Absorção
07 – Erudição
06 – Alegria
05 – Tranqüilidade
04 – Ira
03 – Animalidade
02 – Fome
01 - Inferno Possessão mútua dos 10 estados de vida.
Significa que cada estado de vida pode manifestar os outros 10 dentro dele. 1 – Aparência
2 – Natureza
3 – Entidade
4 – Poder
5 – Influëncia
6 – Causa interna
7 – Relação
8 – Efeito latente
9 – Efeito manifesto
10 – Consistência do inicio ao fim. Os 10 fatores é a forma que os 10 estados de vida se manifestam nos
3 domínios da existência. 1 – Cinco componentes da vida. (Eu)

2 – Ambiente Social

3 – Ambiente natural.
10 estados de vida 10 x 10 = 100 10 Fatores da vida 100 x 10 = 1000 1000 x 3 = 3000

Os Três Princípios de Individualização da Vida, ou Três Domínios da Existência, são:

1) Domínio dos cinco componentes da vida: Explica a individualidade - no exato momento em que uma vida aparece neste mundo, ela é dotada de características físicas e espirituais únicas que são resultados do seu Karma passado.
• Forma: Indica o aspecto físico da vida, que possui atributos como forma e cor. Inclui também os órgãos dos cinco sentidos — visão, olfato, audição, paladar e tato — pelos quais percebemos o mundo exterior.
• Percepção: É a função de receber as informações externas pelos seis órgãos sensoriais — os cinco sentidos e a mente, que integram as impressões sensoriais.

• Concepção: Essa é a função pela qual a vida compreende e elabora idéias sobre aquilo que foi percebido.

• Volição: Significa a vontade de agir com relação àquilo que foi percebido e sobre o qual foi concebida uma idéia.

• Consciência: Essa é a função da vida de discernir fazendo avaliação, distinguir o bem do mal etc. Ao mesmo tempo, ela age para apoiar e integrar as demais quatro funções.

2) Domínio dos seres vivos ou ambiente social: Indica uma verdade comum de que vivemos nossa vida conjuntamente com outras pessoas, por exemplo nossa família.

3) Domínio do ambiente ou ambiente natural: Significa o lugar onde os seres vivos habitam (o espaço) e do qual dependem para resolver suas atividades vitais.

Os Três Domínios da Existência não devem ser vistos de uma forma isolada entre si, mas de forma integrada, os quais manifestam qualquer um dos Dez Mundos.

Com esse princípio, Tient’ai quis mostrar que todos os fenômenos — corpo e mente, ser vivo e ambiente, causa e efeito — estão integrados em um simples momento da vida das pessoas. Isto quer dizer que são três mil condições pelas quais a vida pode manifestar-se como fenômeno.

Cada pessoa têm uma personalidade única, com uma forma única de viver e um meio ambiente que muda em resposta direta as mudanças que ocorrem neste individual.


A teoria do itinen sanzen foi sistematizada por Tient’ai com base no Sutra de Lótus. Porém, o conceito explicado por ele descreve apenas o processo teórico da iluminação, pois a lei básica desse processo não havia sido revelada.

Somente com a revelação do Nam-myoho-rengue-kyo por Nitiren Daishonin, a Lei fundamental que engloba tanto a vida (itinen) como o Universo (sanzen), a consecução real e efetiva da iluminação tornou-se possível. E essa lei foi incorporada na forma do Gohonzon para que todas as pessoas tivessem acesso à finalidade básica da prática do budismo.

De uma forma simplificada, a palavra itinen é comumente expressa como “determinação”. A determinação de uma pessoa em um único instante é o que definirá o rumo de sua vida.

Como em tudo há um lado bom ou positivo e um lado mal ou negativo, é à própria pessoa quem caberá a escolha do rumo a seguir.

Uma forte determinação, portanto, tem o poder tanto para a construção como para a destruição.

Uma mente determinada ou imbuída de forte itinen difere da idéia de pensamento positivo. Para a consecução de um objetivo, por exemplo, não basta simplesmente pensar positivamente, é preciso expressar-se e agir de acordo. Dessa forma, quando uma pessoa manifesta esse tipo de determinação, todo o seu ser participa, ou seja, há uma interação entre os Dez Mundos, os Dez Fatores e os Três Domínios da Individualização.

Nossa condição de vida afeta nossa percepção do mundo e nossa ação em relação a ele.
A prática do Gongyo e do Daimoku nos possibilita elevar essa condição e perceber a essência real dos fatos com sabedoria e coragem para agir diante das situações.
Elevando nosso estado de vida, podemos sair do ciclo de sofrimento e de causas negativas e transformar nosso ambiente. Porém, como seres humanos, temos altos e baixos, motivo pelo qual devemos nos exercitar constantemente.

Considerações Finais e exemplos.
Podemos ver o Itinen Sanzen também pelo ponto de vista dos Três Domínios da Existência onde não apenas o ser humano possui os 10 estados de vida e os 10 fatores, mas também a sociedade e o lugar onde ele vive.
Olhando isso pelo ponto de vista do indivíduo, Itinen Sanzen explica teoricamente como mudando a si mesmo você é capaz de mudar o meio ambiente onde você vive. Ex:

Um pequeno grupo de torcedores de um time de futebol se encontra no inferno ou na alegria de acordo com os resultados do seu time. É claro que os torcedores têm diferentes vidas e diferentes objetivos, porém ao se identificarem com aquele time eles acabam dividindo o mesmo destino.
Neste sentido o grupo de torcedores é uma ENTIDADE VIVA, capaz de manifestar os 10 estados de vida e os 10 fatores. E conseqüentemente eles iram exercer influencia nos seu ambiente – estádios, bares, etc.

No acidente de avião que ocorreu em julho/2007 estavam pessoas de muitas partes do país, talvez muitos deles não tinham nada em comum uns com os outros, mas mesmo assim eles tinham um Karma em comum para estarem no mesmo avião bem no momento do acidente. É impossível saber quais foram as causas que levaram a este karma e isso é também irrelevante, o ponto principal é que aquele grupo de pessoas experimentaram o mesmo destino. O Itinen Sanzen nos mostra que todos nós fazemos parte de muitos grupos – família, amigos, colegas, vizinhos, crianças, homem, mulher e assim por diante, e sendo assim o nosso karma pessoal e identidade estão ligados com outras pessoas como individuais e como grupos.

Objetos inanimados são também capazes de manifestar os 10 estados de vida e os 10 fatores através dos seres humanos, já que são incapazes de fazerem os esforços necessários. Ex. Uma faca.

Se uma pessoa usa a faca para cometer suicídio, este é o estado de vida do Inferno da faca.
Carregar uma faca para se sentir forte e ameaçar os outros, a faca manifesta o estado de vida da animalidade.
Um médico usando uma faca p salvar a vida de alguém, a faca manifesta o seu estado de Bodhisattva.
Uma pessoa no estado de Buda pode utilizar a faca de inúmeras maneiras para criar valor e assim permite que esta faca manifeste o seu estado de vida de Buda.

O trabalho do Van Gogh (1853 – 90) é muito valorizado hoje, suas pinturas são leiloadas por milhões de dólares. Mas, quando era vivo o seu trabalho era ridicularizado e discriminado e sendo assim era pouco comercializado, este grande mestre da pintura enquanto vivo era sustentado pelo irmão Theo e acabou morrendo na extrema pobreza.
Van Gogh era um homem instável emocionalmente, horas experimentava grande alegria e outras profunda tristeza e depressão o que acabou levando-o ao suicido.
Apesar do lado negativo da sua instabilidade emocional, ela também foi a maior responsável pela grandeza deste pintor, no final da sua vida ele reagia fortemente e as vezes até violentamente ao seu ambiente físico e pintou incessantemente o mundo que ele SENTIA mais do que o mundo que ele via.
Através do Itinen Sanzen, podemos dizer que o Van Gogh pintou não apenas objetos ou paisagens, mas imprimiu na tela o seu próprio estado de vida no momento da pintura. O diferencial maior do trabalho deste gênio da pintura está no enorme apelo emocional que o trabalho emana.
As tintas a óleo e a tela usadas nas pinturas também possuíam uma natureza espiritual que só foi possível ser revelada quando as circunstancias permitiram, isso é quando o artista as utilizou para expressar o seu próprio espírito.

Analisando a pintura dos girassóis do Van Gogh através dos 10 fatores da vida.
Possui aparência e natureza ou espírito porque são ambos parte da entidade da pintura que é igual ao estado de vida do pintor quando ele fez o trabalho.
O poder da pintura se torna influencia quando isso é ativado através de uma causa externa, alguém olhando para a ela. A causa inerente é a totalidade de tudo que o Van Gogh fez para criar a pintura mesmo antes dele colocar o pincel na tela. O efeito manifesto é a reação que ela causa a pessoa que admira o trabalho e o efeito latente pode ser julgado pelo fato de que esta pintura continua crescendo em fama e valor, e finalmente podemos ver que estes 9 fatores são consistentes do início ao fim.

Apesar de toda explicação acima ser uma tentativa de simplificar o Itinen Sanzen, ele não pode ser compreendido em conteúdo e profundidade pelo intelecto somente.
Sendo assim, não devemos nos preocupar com isso, o entendimento e a utilização do Itinen Sanzen em nossa vida virá a partir do momento que nos aprofundarmos na nossa prática e na nossa revolução humana.

Devemos nos esforçar todos os dias na nossa prática de Gongyo e Daimoku, assim como elevar o nosso estado de vida nos 3 três domínios da existência.
Um prática de forte determinação (itinen) e regularidade nos levará sem dúvida a estados de vida mais elevados, polindo a nossa vida em direção ao estado de Buda.
Não devemos nos preocupar em entender plenamente os princípios da filosofia budista, isso vem com o tempo e com a nossa experiência como Budistas na vida diária e como disse sakyamuni.

"A sabedoria dos budas é infinitamente profunda e imensurável. O portal dessa sabedoria é difícil de compreender e de transpor. Nenhum dos homens de erudição ou de absorção é capaz de compreendê-la
Porque a Lei que o Buda revelou é a mais rara e a mais difícil de compreender.
A verdadeira entidade de todos os fenômenos somente pode ser compreendida e partilhada entre os budas. Essa realidade consiste de aparência, natureza, entidade, poder, influência, causa interna, relação, efeito latente, efeito manifesto e consistência do início ao fim.”




Texto base - JULHO DE 2004 — EDIÇÃO Nº 431

Nenhum comentário: