"Quando sua determinação muda, tudo o mais começa a se mover

em direção ao seu desejo".

28 de jul de 2011

Já se olhou no espelho hoje?


Isso mesmo! Todos os dias temos a imensurável boa sorte de nos olharmos no espelho que reflete a nossa vida, o espelho que permite enxergarmos claramente o nosso real aspecto interior. Muitas vezes, é difícil visualizarmos qual nosso maior defeito e nossa tendência cármica. E o Gohonzon nos possibilita isto. Que extraordinário, não é mesmo?
No escrito “O Objeto de Devoção para Observação da Mente” consta a seguinte passagem: “Kanjin significa observar a própria vida da pessoa e encontrar os Dez Mundos nela. Uma pessoa pode ver os órgãos sensoriais dos outros, mas não pode ver os seus próprios. Ela reconhece seus próprios órgãos sensoriais somente quando se olha num espelho claro.” Nesse trecho, Nitiren Daishonin revela o significado de Kanjin e expressa claramente a importância do autoconhecimento. De uma maneira muito convicta, o segundo presidente da Soka Gakkai, Jossei Toda, afirmava: “O poder natural dos seres humanos é muito fraco. Por mais que tente viver do seu modo, no final as pessoas são facilmente influenciadas pelos outros e por fatores externos. (...) Acredito que não há outra forma para tornar a vida mais forte, mais feliz e mais brilhante a não ser viver o budismo de itinen sanzen (Três Mil Mundos num Único Momento da Vida) e a Possessão Mútua dos Dez Mundos. Essa é a filosofia fundamental que Nitiren Daishonin pronunciou ao vasto Universo há mais de setecentos anos.” (Terceira Civilização, edição no 434, outubro de 2004, pág. 14.) Ou seja, a recitação de Daimoku ao Gohonzon nos permite enxergar os nossos Dez Mundos, nosso verdadeiro eu, nossas qualidades, potencialidades e dificuldades, ou seja, fazermos um check-up de nossa preciosa vida.
E esse espelho é tão maravilhoso que permite não só que nos vejamos como realmente somos, mas proporciona-nos a condição de revolucionar a nossa vida, de criar a causa da vitória, de não olharmos para o defeito do outro e olharmos para o que precisamos aprimorar em nós mesmos!
O presidente da SGI, Daisaku Ikeda, ressalta: “Nossa vida passa a ser o Gohonzon quando realizamos a prática da Lei Mística para nós mesmos e para os outros. Nós podemos realmente fazer com que nossa vida brilhe como a entidade da Lei Mística. O presidente Toda disse: ‘O Gohonzon penetra totalmente em nossa vida quando recitamos o Nam-myoho-rengue-kyo. Quando abrimos os olhos e observamos o Universo, ali encontramos o Gohonzon. E quando fechamos os olhos e contemplamos o interior de nosso ser, o Gohonzon também aparece ali claramente, com uma força cada vez mais poderosa e um brilho cada vez mais resplandecente’.” (Ibidem.)
Inestimáveis companheiros de eterna missão, agora é a hora de, cada vez mais, usufruirmos de nosso precioso espelho da vida, que é o Gohonzon, de termos a coragem de permitir que nossa vida brilhe radiantemente, de possuirmos esperança e convicção da vitória e com incansável determinação agirmos para concretizar nosso objetivo orando incessantemente para que muitas outras pessoas também tenham a grandiosa boa sorte de possuírem e desfrutarem este extraordinário e precioso espelho da vida para também serem felizes!
E então, já se olhou no espelho hoje?


Elizabeth Severina do Carmo, Vice-coordenadora da DFJ da CRJ


Edição 1829 - Publicado em 28/Janeiro/2006 - Página A7
• “O Objeto de Devoção para Observação da Mente” — Publicado nas páginas B1 e B2 do Caderno de Estudo desta edição.

Nenhum comentário: