"Quando sua determinação muda, tudo o mais começa a se mover

em direção ao seu desejo".

23 de mar de 2011

Os quatro poderes

Os quatro poderes

Edição 2076 - Publicado em 19/Março/2011 - Página A6

A garantia de resposta das orações

O que são os quatro poderes?
No Budismo Nitiren, os quatro poderes são: o poder do Buda, o poder da Lei, o poder da fé e o poder da prática.
Cada qual no seu lugar
Os poderes do Buda e da Lei estão representados no Gohonzon. E os poderes da fé e da prática são exercidos pelo praticante.
Para que servem?
A interação entre os quatro poderes garante a resposta das orações de uma pessoa e a capacita a atingir a iluminação.
O poder do Buda
Representa a benevolência do Buda de salvar todas as pessoas.
O poder da Lei
Indica a ilimitada força da Lei Mística de conduzir todas as pessoas à iluminação.
Um exemplo
Imagine a seguinte situação: uma pessoa está sofrendo por uma determinada circunstância. Ela sente que não tem força para vencer o rigor das dificuldades e não consegue enxergar soluções. Todas as portas estão fechadas.
A função do poder do Buda
Mesmo que a pessoa não seja um modelo e não tenha feito tudo certo, devido à benevolência do Buda ela é capaz de manifestar a mesma condição que a dele por ter contato direto com a Lei. Esse poder possibilita que independentemente das circunstâncias em que ela se encontre ou do seu passado, suas orações serão respondidas. É garantido que ela transformará a própria vida numa vida maravilhosa e recheada de boa sorte.
A função do poder da Lei
Mesmo que essa pessoa ache que não tem força para mudar, uma vez que ela recita o Daimoku e se dedica ao Kossen-rufu, o caminho da iluminação está aberto. Porque, por meio de suas orações e de suas ações, a força da Lei Mística torna-se manifesta em sua vida diária e tudo passa a ser motivo de alegria e fonte de energia e boa sorte.
Confie com todo seu coração
“Esse Gohonzon é o coração do Sutra de Lótus e os olhos de todas as escrituras. É como o Sol e a Lua no céu, um poderoso governante na Terra, o coração num ser humano, a joia da concessão dos desejos entre os tesouros e o pilar de uma casa. Quando se abraça este mandala, todos os budas e deuses juntam-se ao redor da pessoa, acompanhando-a como uma sombra, e protegem-na dia e noite, como guerreiros guardam seu soberano, como pais amam seus filhos, como o peixe precisa da água, como as árvores e plantas anseiam por chuva, ou como os pássaros dependem das árvores. Deve confiar no mesmo com todo o seu coração.” (As Escrituras de Nitiren Daishonin, vol. V, pág. 273.)
E como ativar os poderes do Buda e da Lei?
Por meio dos poderes da fé e da prática.
O poder da fé
Refere-se à fé capaz de manifestar a sabedoria dos budas. A fé no Gohonzon.
Que tipo de fé?
O presidente Ikeda orienta: ”O Buda ora pela felicidade de todos os seres vivos. Ele luta para trazer felicidade para todos os seres. Ele é um pai para todos os seres. Quando depositamos nossa fé no desejo do Buda, nossa própria sabedoria desperta e floresce”. (BS, edição no 1.385, 5 de outubro de 1996, pág. 4)
Fé no Gohonzon
O que representa o Desejo do Buda de conduzir todos os seres à felicidade? O Gohonzon. Depositar fé no Desejo do Buda é ter fé no Gohonzon. Este é o poder da fé. E essa fé ideal se manifesta de duas formas: a oração e o Chakubuku, que constituem o poder da prática.
Ainda sobre a fé
No Gosho “A Herança da Lei Última da vida” Nitiren Daishonin escreve: “Determine extrair o grande poder da fé e recite o Nam-myoho-rengue-kyo com a convicção de que sua fé será firme e correta no momento de sua morte. Jamais busque nenhum outro caminho para herdar a suprema Lei da vida e da morte, mas manifeste-a em sua própria vida. Somente quando agir assim compreenderá que os desejos mundanos são iluminação e que os sofrimentos do nascimento e da morte são nirvana. Sem a herança da fé, mesmo o ato de abraçar o Sutra de Lótus será inútil”. (END, vol. 3, pág. 179)
Uma fé inabalável
No romance Nova Revolução Humana, consta: “Quanto mais forte for a nossa fé, maior será a proteção das funções budistas. No Gohonzon estão contidos os poderes do Buda e da Lei. E os benefícios desses poderes são extraídos por meio da nossa fé e da nossa prática, isto é, dos poderes da fé e da prática. Entretanto, existem pessoas que praticam, mas no fundo duvidam que seus objetivos sejam concretizados. Uma vez que oram com dúvidas, naturalmente nada se torna possível. O fator principal para produzir os benefícios é a inabalável fé no Gohonzon, além da gratidão, sinceridade e determinação. Diante do poder benéfico do Gohonzon, seus pedidos ainda são pequenos. Por isso, empenhem-se ainda mais na prática da fé e desfrutem grandes benefícios”. (BS, edição no 1.706, 5 de julho de 2003, pág. A7)
O poder da prática
O poder da prática é recitar o Nam-myoho-rengue-kyo para si e ensiná-lo aos outros. Em outras palavras, é a prática para si e a prática para os outros.
A interação dos quatro
Quando uma pessoa é capaz de manifestar o poder da fé e da prática, ela se torna capaz de invocar os poderes da Lei e do Buda incorporados no Gohonzon. É por meio dessa interação dos quatro poderes que as orações ao Gohonzon são concretizadas.
A fonte da transformação
O presidente Ikeda observa: “A fonte dessa grandiosa transformação não se encontra em nenhum outro lugar a não ser num radical aprofundamento de nossa própria oração ao Gohonzon. Orar ao Gohonzon é totalmente diferente de uma fé dependente e suplicante; nós não imploramos a alguém por salvação ou ajuda de forma passiva e fraca. A oração no Budismo Nitiren é fundamentalmente um juramento. É o juramento ou o compromisso de seguir o curso de ação escolhido; é uma afirmação de desafiar um objetivo claro. Assim, como poderia haver algo mais maravilhoso que o juramento de concretizar a própria revolução humana e realizar o Kossen-rufu com seu objetivo pela paz mundial?” (Brasil Seikyo, edição no 1.839, 15 de março de 2004, pág. A3.)
Resumindo
No romance Nova Revolução Humana consta o seguinte incentivo a uma mãe, cuja a filha não conseguia falar: “Não se preocupe. Se continuar a se empenhar com sinceridade na prática da fé, a sua filha certamente conseguirá falar. É claro que isso depende da intensidade de sua fé. Um conto japonês diz que, por maior que seja um sino dependurado, o seu som dependerá do bastão utilizado para batê-lo. Se o tocar com toda a força com uma grande tora de madeira, o som produzido será certamente muito forte. Ao contrário, se o bater com um palito de fósforo ou com hashi (pauzinhos utilizados para comer), seu som será muito fraco. Da mesma forma, embora o Gohonzon encerre o imensurável poder do Buda e o poder da Lei, se os nossos poderes da fé e da prática forem tão frágeis como palitos de fósforo a baterem o sino, não conseguiremos extrair os grandes benefícios do Gohonzon. Entretanto, se a senhora empenhar todas as suas forças na prática do Budismo, conseguirá infalivelmente concretizar a transformação do destino e a sua filha certamente irá melhorar. Por isso mesmo, jamais seja derrotada pelos seus sentimentos e lute até conseguir a vitória”. (NRH, vol. 1, pág. 157)
Conclusão
Ore com a certeza de que os dois poderes estão no Gohonzon. Por meio do seu estado de vida elevado, que se manifesta a partir desta oração, encoraje os outros a fazer o mesmo.

Nenhum comentário: