"Quando sua determinação muda, tudo o mais começa a se mover

em direção ao seu desejo".

29 de mar de 2009

Bodhisattva Percebedor dos Sons do Mundo

04 DE JULHO DE 2009 — EDIÇÃO Nº 1994


Esse capítulo conta a história do Bodhisattva Percebedor dos Sons do Mundo. No início, o Bodhisattva Mente Inexaurível pede a Sakyamuni que explane por que o Bodhisattva Percebedor dos Sons do Mundo tem esse nome. Sakyamuni responde que é porque ele percebe e salva todos aqueles que estão aflitos, não importando onde estejam, e que sinceramente invocam seu nome. O Buda ainda menciona sete desastres dos quais a pessoa pode ser salva por meio do poder do Bodhisattva Percebedor dos Sons do Mundo, como incêndios, inundações, espadas e bastões, prisão e ataque de bandidos. Esse bodhisattva também livra as pessoas dos três venenos da avareza, ira e estupidez e concede orações às crianças. Ele pode assumir qualquer forma para pregar o ensino do Buda.

Em seguida, Sakyamuni enumera trinta e três formas que o Bodhisattva Percebedor dos Sons do Mundo assume para salvar as pessoas e afirma que esse bodhisattva confere o benefício da coragem nos momentos de dificuldades e de perigo. O Bodhisattva Mente Inexaurível, então, oferece um colar precioso ao Bodhisattva Percebedor dos Sons do Mundo que divide-o ao meio e oferece uma metade ao Buda Sakyamuni e a outra à Torre de Tesouro.

Sobre o significado de seu nome, Nitiren Daishonin diz que “Percebedor” significa percepção perfeita, “mundo”, refere-se a maravilhoso, e “sons” à capacidade de atingir o estado de Buda. “Mundo” diz respeito aos seres dos dez mundos. Numa passagem desse capítulo, consta: “Ele olha para os seres vivos com benevolência”. Olhar as pessoas com benevolência não significa olhá-las com pena, mas com a consciência de que “esta pessoa é realmente um buda, mas está sofrendo porque não percebe isso”.

Do ponto de vista do Budismo Nitiren, a figura do Bodhisattva Percebedor dos Sons do Mundo representa um aspecto da própria vida de Daishonin e está contida no Gohonzon. É um símbolo da ilimitada benevolência dele. Entretanto, apesar de toda a sua popularidade, ainda hoje muitas pessoas não compreendem que a fonte de seu poder vem da Lei Mística ou da recitação do Nam-myoho-rengue-kyo para obter sua proteção.

Elas tendem a achar erroneamente que serão protegidas apenas por serem budistas, tornando-se acomodadas e negligentes. Mas as funções protetoras do Universo apenas são evidenciadas por uma corajosa e inabalável fé. É a fé, a recitação de Daimoku e a ação pelo Kossen-rufu que ativam essa poderosa força.

O segundo presidente da Soka Gakkai, Jossei Toda, dizia que é uma falta de responsabilidade simplesmente desejar o benefício sem se devotar ao Gohonzon. Aqueles que oram com toda sinceridade e se empenham em prol do Kossen-rufu constroem em sua vida uma fortaleza de segurança e tranquilidade.

Jossei Toda também observava que é indispensável possuir percepção e capacidade aguçadas para distinguir corretamente e compreender profundamente as tendências na sociedade e a época, e até mesmo antecipá-las antes que aconteçam.

Por meio da corajosa e sincera fé podemos evidenciar este poder em nossa vida e reconhecer os “sons” do sofrimento de uma pessoa, não importando quem seja e agir de forma a extrair os seus sofrimentos e substituí-los por felicidade.

E como podemos fazer isso? Pela benevolência e amabilidade. É na atitude de compartilhar sinceramente nossas preocupações com os outros, de orar para a superação de seus problemas como se fossem nossos, na sincera consideração pelos demais e no incentivo rigoroso repleto desses sentimentos que espontaneamente sensibilizamos as pessoas. Todas essas virtudes são características do Percebedor dos Sons do Mundo.

De fato, a seriedade com que oramos e a nossa incansável e sincera dedicação pela felicidade das pessoas ultrapassando nossas próprias limitações é o que nos faz tocá-las profundamente. É a própria virtude do Percebedor dos Sons do Mundo.


04 DE JULHO DE 2009 — EDIÇÃO Nº 1994

Nenhum comentário: